Apneia do sono

A apneia do sono é um distúrbio do sono potencialmente grave em que a respiração para e começa repetidamente. Pessoas com apneia obstrutiva do sono podem, inclusive, não estar cientes de que têm o problema.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruim e 33% sofre de apneia do sono.

Tipos

Existem dois tipos de apneia do sono:

Ronco e apneia

Apneia obstrutiva do sono

A forma mais comum, que ocorre quando os músculos da garganta relaxam durante o sono. A apneia obstrutiva do sono ocorre quando os músculos da parte de trás da garganta relaxam, o que acontece enquanto a pessoa dorme.

Nesse tipo de apneia do sono, quando esses músculos relaxam, as vias respiratórias se fecham, o que interfere e impede a respiração adequada. Isto pode reduzir drasticamente o nível de oxigênio no sangue. Assim, o cérebro recebe a mensagem de que algo está errado. Por ser incapaz de respirar, você desperta do sono por um breve momento – em que as vias respiratórias reabrem e permitem que a respiração volte ao normal. Esse problema, no entanto, se repete inúmeras vezes ao longo da noite (de cinco a trinta vezes por hora, em média) e pode causar sérias complicações.

Durante a apneia obstrutiva do sono, a pessoa pode produzir um ronco ou um som semelhante ao sufocamento. O sono irregular impede a pessoa de alcançar o sono profundo, fazendo-a se sentir sonolenta durante o dia.

Apneia do sono central

A apneia do sono central é muito menos comum e ocorre quando o cérebro não consegue transmitir sinais para os músculos da respiração. Uma pessoa que sofre com este tipo de apneia pode acordar com falta de ar ou sentir dificuldade para dormir ou, ainda, para manter o sono. Assim como ocorre com a apneia obstrutiva do sono, aqui a pessoa também pode apresentar sonolência durante o dia.

Causas

Apneia obstrutiva do sono

Para esse tipo de apneia do sono, a principal causa é a obstrução do canal respiratório. Situações como obesidade, anatomia das amígdalas e circunferência do pescoço podem levar à apneia do sono.

Apneia do sono central

A causa mais comum de apneia do sono central é a insuficiência cardíaca e, mais raramente, um acidente vascular cerebral (AVC).

Fatores de risco

Todas as pessoas podem apresentar apneia do sono, até mesmo crianças. Alguns fatores de risco, no entanto, costumam ser elencados pelos médicos. Eles variam de acordo com o tipo da doença, mas pelo menos duas características são comuns: ser do sexo masculino e ter mais de 60 anos de idade. Os homens, em geral, são duas vezes mais propensos a desenvolver a doença do que as mulheres, que têm seu risco aumentado se estiverem acima do peso e também após a menopausa.

Os principais fatores de risco para apneia obstrutiva do sono são:

Excesso de peso

Depósitos de gordura em torno de vias aéreas superiores podem obstruir a respiração. No entanto, nem todo mundo que tem apneia do sono está acima do peso. Pessoas magras também podem desenvolver o transtorno.

Circunferência do pescoço

Pessoas com um pescoço mais grosso podem ter vias aéreas mais estreitas que o normal.

Estreitamento das vias aéreas

Algumas pessoas possuem vias aéreas naturalmente mais estreitas. Há casos ainda em que as amígdalas e adenoides podem se tornar maiores que o normal também, o que pode levar ao bloqueio das vias aéreas.

Histórico familiar

Pessoas que possuem parentes com histórico de apneia do sono têm mais riscos de ter o problema

Etnia

Afrodescendentes são mais propensos a desenvolver apneia do sono, principalmente os acima de 35 anos de idade.

Álcool

O consumo abusivo de álcool e de substâncias como sedativos e tranquilizantes podem relaxar os músculos da garganta.

Cigarro

Fumantes têm três vezes mais chances de ter apneia obstrutiva do sono do que pessoas que nunca fumaram. Fumar aumenta o risco de inflamação e de retenção de líquidos na via aérea superior.

Congestão nasal

Se tiver dificuldade em respirar pelo nariz – seja por um problema nasal, alergias ou um resfriado, por exemplo -, você possui mais chances de desenvolver apneia obstrutiva do sono.

Já para a apneia do sono central, os maiores fatores de risco são:

Distúrbios cardíacos

Pessoas com fibrilação atrial ou insuficiência cardíaca congestiva estão em maior risco de apresentar apneia do sono central.

AVC ou tumor cerebral

Um acidente vascular cerebral (AVC) ou o surgimento de um tumor cerebral podem prejudicar a capacidade do cérebro para regular a respiração, levando à apneia do sono central.

Os sinais e sintomas das apneias obstrutivas do sono incluem:

  • Hipersonia (sonolência excessiva durante o dia)
  • Ronco alto
  • Despertar abruptamente durante a noite com falta de ar
  • Despertar com a boca seca ou dor de garganta
  • Cefaleia matinal
  • Insônia
  • Déficit de atenção
  • Apresentar irritação, nervosismo e impaciência durante o dia, decorrentes de uma noite mal dormida
  • Ter esquecimentos
  • Dor de cabeça difícil de tratar.

 

 

Alessandro Carvalho de Sousa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *